Quarta-feira
24 de Abril de 2024 - 

Previsão do tempo

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
32ºC
Min
24ºC
Chuva

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
35ºC
Min
27ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Rio de Jane...

Máx
32ºC
Min
24ºC
Chuva

Terça-feira - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
35ºC
Min
27ºC
Parcialmente Nublado

Justiça prorroga prisão temporária dos suspeitos de envolvimento na morte de advogado no Centro do Rio

O juízo da 3ª Vara Criminal da Capital renovou por mais 30 dias, nesta segunda-feira (1º/4), a prisão temporária do policial militar Leandro Machado da Silva, de Eduardo Sobreira Moraes e de Cezar Daniel Mondêgo de Souza, indiciados pela morte do advogado Rodrigo Marinho Crespo, na Avenida Marechal Câmara, no Centro.  As autoridades policiais pediram a renovação da prisão temporária dos acusados, diante da justificativa de ser necessária a realização de mais diligências, que esclareçam os motivos do crime, a conclusão da análise do material apreendido, o laudo pericial e a possível participação de outras pessoas na morte do advogado.  A decisão destaca a presença de elementos que indicam que os indiciados são inpíduos de maior periculosidade, sendo um deles policial militar, e que compõem um grupo de sicários no Rio de Janeiro, que utilizam técnicas, armas e estratégias das autoridades investigativas para o planejamento e execução dos seus crimes, assim como a destruição de provas e obstrução de investigações futuras. “Os três investigados que estão presos se encontraram antes e após o homicídio da vítima, houve a utilização de número de telefone cadastrado no exterior e a utilização de telefone em nome de terceira pessoa, tudo com o objetivo de dificultar eventuais investigações, o que evidencia que agiam de forma coordenada e organizada em relação ao crime apurado, sendo mais do que certo que, se postos em liberdade, adotarão condutas com o escopo de atrapalhar o trabalho de investigação, como já o fizeram. Não se trata de conjecturas, mas de fatos, devidamente comprovados pelos investigadores”.  Do crime O crime aconteceu no dia 26 de fevereiro. A vítima foi atingida com persos disparos de arma de fogo, na calçada em frente ao prédio do seu escritório. Processo: 0032590-85.2024.8.19.0001 PC/MB
01/04/2024 (00:00)
Visitas no site:  1318529
© 2024 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.